Anuncie com Anonymous Ads

terça-feira, 10 de julho de 2018

O Ethereum, Foi Financiado, Como, Um Projeto De Crowdfunding, E, É Um Dos Maiores Projetos, De Criptomoedas, Financiados Da História


A Tecnologia do Ethereum, Tem Potencial, Inclusive, Para Alimentar Modelos De Governo Distribuídos

O Ethereum, foi lançado em, 30 de julho de 2015. A sua criptomoeda é o ether, e o código usado em corretoras, é o ETH. Ele, é uma plataforma descentralizada, e, é capaz de executar contratos inteligentes e aplicações descentralizadas, só usando a tecnologia blockchain.

O ether, utiliza-se de uma estrutura de programação que, utiliza pontos flutuantes, permitindo que, ele seja fracionado em escalas decimais, bastante pequenas.

Os etheres, são divididos em unidades menores, cujos nomes, fazem referência às pessoas envolvidas com o seu projeto de desenvolvimento: Finney, Szabo, Wei.

O desenvolvimento, começou em Dezembro de 2013, as primeiras implantações, eram em Go e C++ liberadas para avaliação de usuários em Fevereiro de 2014. Desde então, vários up dates foram lançados, até a versão de release (Frontier) ser lançada em Julho de 2015. O desenvolvimento, foi financiado como projeto de crowdfunding.

As aplicações, desta criptomoeda, funcionam exatamente como programadas, sem, qualquer possibilidade de censura, fraude ou interferência de terceiros. Isto porque, o contrato não muda.

O contrato, tem uma máquina virtual que, pode executar scripts, usando uma rede internacional de nós públicos, formalmente, eles foram apresentados na forma, de um white paper, com definição formal da Virtual Machine do Ethereum (EVM).

O Ethereum, é capaz de armazenar os registros de transações, em um arquivo, que é, uma espécie de planilha pública distribuída, e de segurança garantida por criptografia.

As transações publicadas no blockchain, são verificadas e validadas pelos próprios usuários, através da mineração, que, executa os códigos de natureza criptográfica.

O sistema, pode funcionar em um protocolo distribuído, recompensando seus usuários pelo poder computacional, empregado por eles.

O princípio, é que, toda transação, registro, execução de código distribuído, assinatura de contrato digital, ou qualquer outra aplicação que seja executada na rede do Ethereum, seja paga em ether.

Para adquirir ether, basta utilizar os seguintes jeitos:

  1. Mineração (é necessário um computador com uma Unidade de Processamento Gráfico atualizada para execução dos códigos criptográficos);
  2. Recebimento de doações, e;
  3. Troca por outras criptomoedas.

Não é possível conseguir ether em trocas diretas por moedas reais.

O modelo de Ethereum, conceitua favorecer a circulação de etheres, como jeito de pagamento, voltado ao uso da própria rede.

O mecanismo de troca, de ether por bitcoins, foi fundamental, ao financiamento do projeto.

A primeira remessa de ether (aproximadamente 60 milhões), foi vendida durante o financiamento do projeto, numa crowdsale que, durou 42 dias, período em que, arrecadou-se 31.591 bitcoins, que, na cotação da época, equivaliam a aproximadamente 18.5 milhões de dólares.

Em termos de potencial de aplicações, o Ethereum codifica, descentraliza, assegura e comercializa todo tipo de programação: votações, nomes de domínio, transações financeiras, crowdfunding, governança de empresas e estados, contratos, acordos de qualquer tipo, e até, direitos de propriedade de intelecto.

A possibilidade de validação, de identidade, e, assinatura digital segura da blockchain, dá margem ao desenvolvimento de diversos tipos de aplicações, tais como:

  1. Transferências econômicas;
  2. Campanhas de crowdfunding;
  3. Apólices de seguro;
  4. Registro de títulos de propriedade;
  5. Coleta de impostos;
  6. Votações;
  7. Registro de histórico médico e;
  8. Outras.

O Ethereum, pode ser, considerado, um grande computador, onde, os usuários paguem pela quantidade de recurso utilizado.


Os Contratos Inteligentes, São Para Assinatura Digital, E, A Verificação, É Realizada Através De Protocolos

Os Contratos inteligentes, são contratos de assinatura digital, onde, a verificação, é realizada através de protocolos de computador.

O objetivo do Ethereum é, levar a tecnologia do blockchain e os contratos inteligentes para todos os níveis de programação, em todos os tipos de terminais.

Na rede Ethereum, contratos inteligentes, podem ser implantados em quatro linguagens diferentes. Os contratos são compilados para a máquina virtual do Ethereum e em seguida anexados à blockchain.

As linguagens são:

  1. Solidity, similar a JavaScript;
  2. Serpent, similar a Python;
  3. Mutan, similar a C e;
  4. LLL, similar a Lisp.


Contratos inteligentes “assinados” no blockchain do Ethereum e a mineração são pagos em ether, que é, utilizado, dentro da plataforma, a rodar os contratos inteligentes, serviços computacionais dentro da rede, e, para pagar taxas de mineração.

Premiações, Destaques, E Repercussão Na Imprensa Mundial, Tem Contribuído À Divulgação Da Ethereum No Mercado De Economias

Em 2014, Vitalik Buterin, venceu a Premiação Mundial em Tecnologia (World Technology Award) de, contribuição, na criação e desenvolvimento do Ethereum.

A plataforma, foi mencionada em diversas publicações, em todos os tipos de mídia, principalmente na impressa internacional: The Wall Street Journal, Wired, The Globe and Mail, Silicon ANGLE, Al Jazeera, The Telegraph e The Keiser Report.

No Brasil, as notícias sobre o Ethereum, limitam-se às mídias especializadas e, principalmente, home page de redes sociais e na TV.


Nenhum comentário:

Postar um comentário